Projetos de Extensão realizam atividades no Dia de Prevenção de Acidentes do Trabalho
Publicado em 10/07/2019

O Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho é comemorado no dia 27 de julho no Brasil. A data comemorativa propõe uma reflexão sobre como os ambientes e processos de trabalho podem ser determinantes para a saúde dos trabalhadores - influenciando a qualidade de vida e podendo também alcançar repercussões ao nível ambiental.  A data coloca em evidência a necessidade de adoção de ações preventivas para mudar o atual cenário de morbimortalidade dos trabalhadores no Brasil.

Nesse contexto, os projetos de extensão de Educação no Trânsito e Escola Como Espaço de Educação em saúde realizam atividades de capacitação para internos da Comunidade Esperança, localizada na Rua Benedito Moreira de Andrade, nº 251, Bairro Petrópolis em Timóteo, MG, Brasil.

A professora Marluce Teixeira Andrade Queiroz destaca que a motivação para a realização dessas atividades se relaciona com as oportunidades de contribuição para mitigação dos transtornos socioambientais discutindo a segurança no trânsito. “Os graduandos realizaram pesquisas sobre a problemática dos acidentes associados ao deslocamento urbano, possibilitando a construção de metodologias mitigadoras aplicáveis aos diversos segmentos sociais que visam a redução da frequência e gravidade dos sinistros”, destaca. Ainda segundo ela, a capacitação objetiva instrumentalizar o interno facilitando a adesão ao mercado de trabalho.

A docente Thamara de Souza Campos relata que, durante a iniciativa, serão apresentados conceitos importantes pertinentes ao autocuidado para manutenção da saúde e qualidade de vida. “Dentre as práticas que serão realizadas, destaca-se a aferição da pressão arterial dos internos. Trata-se de ação importante para evitar o adoecimento, sendo importante a realização desse procedimento durante as consultas de rotina”, afirma. De acordo com ela, o objetivo é alertar o interno para que busque as unidades de saúde para que conheçam sua condição e mantenha-se em tratamento, se for necessário.

O presidente da Comunidade Esperança, Saulo Siqueira Laurenço, comenta a importância dessas atividades para a reabilitação do interno. “Mesmo com a dependência química sendo oficialmente uma doença diagnosticada e com possibilidade de tratamento, os dependentes químicos ainda sofrem muito preconceito. Portanto, é necessário fazer com que a comunidade seja um local amigável e propício para o tratamento”.

Ainda segundo Saulo, a capacitação realizada pelo Unileste “é um auxílio importante nesse processo evidenciando a sensibilidade da instituição em contribuir para que os assistidos reconheçam que é possível uma mudança de vida, desde que sejam adotados novos hábitos”, finaliza.


© 2018 UNILESTE - Todos os direitos reservados

Campus Coronel Fabriciano: Av. Tancredo Neves, 3500, B. Universitário, 35170-056 - (31) 3846-5500
Campus Ipatinga: Rua Bárbara Heliodora, 725, Bom Retiro, 35160-215 - (31) 3846-5500