Voltar
 
 
SUMÁRIO
 
1. OBJETIVOS E CARACTERÍSTICAS DO PERIÓDICO
2. CONDIÇÕES PARA ACEITAÇÃO DE ARTIGOS PARA ANÁLISE
3. ORIENTAÇÕES PARA A PREPARAÇÃO DE ORIGINAIS PARA SUBMISSÃO
4. DISPOSIÇÕES FINAIS

 


1. OBJETIVOS E CARACTERÍSTICAS DO PERIÓDICO

1.1. A revista Principium: Iniciação Científica no Unileste-MG é uma publicação anual do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais destinada a divulgar os relatos finais de pesquisas desenvolvidas pelos graduandos participantes do Programa de Iniciação Científica (PIC) desta Instituição com o objetivo de:

1.1.1. disponibilizar à comunidade acadêmica os resultados obtidos na investigação dos temas propostos pelos professores-orientadores conforme suas linhas de pesquisa;

1.1.2. proporcionar ao iniciante em pesquisa a prática da comunicação científica primária, de modo a familiarizar-se com suas peculiaridades;

1.1.3. estimular o intercâmbio de informação científica entre as diversas áreas do conhecimento abrangidas pelos cursos oferecidos pelo Unileste-MG e

1.1.4. fomentar a atividade científica na graduação e pós-graduação.

1.2. Para alcançar estes objetivos, assegurando ao público-leitor o pleno entendimento dos estudos empreendidos, os relatos finais devem ser preparados para a publicação neste periódico em consonância com as instruções expressas nestas normas, sob a forma de artigo científico, através do qual o(s) autor(es) poderá(ão) descrever, com precisão e clareza, o estudo (documental, bibliográfico ou de campo) realizado, abordando o problema, a metodologia, os resultados obtidos e conclusões, amparando-se no conhecimento acumulado e compartilhado pela literatura específica da área para fundamentar suas proposições, escolhas, justificativas, ponderações, análises e conclusões.

1.3. A apresentação do artigo para publicação implica na cessão dos direitos autorais sobre ele à Principium: Iniciação Científica no Unileste-MG - a quem caberá, exclusivamente, o direito de publicar, distribuir e/ou armazenar o conteúdo do artigo, seja sob a forma impressa, eletrônica ou outra -, de modo que o(s) autor(es) estará(ão):

1.3.1. impedido(s) de submetê-lo simultaneamente a outro veículo;

1.3.2. obrigado(s) a solicitar permissão prévia deste periódico para qualquer publicação subseqüente do artigo, ou partes dele, em outro veículo e

1.3.3. comprometido(s) a indenizar o Unileste-MG e a equipe editorial deste periódico por perdas relacionadas a infrações à legislação vigente em virtude de conceitos e afirmações contidos no artigo, inexatidão e inadequação das referências a trabalhos consultados e nele mencionados e reprodução não-autorizada de propriedade intelectual de terceiros (fotografias, ilustrações, tabelas, gráficos, desenhos etc.).

 


2. CONDIÇÕES PARA ACEITAÇÃO DE ARTIGOS PARA ANÁLISE

2.1. O artigo apresentado será aceito para análise da editoria deste periódico e do Conselho de Pesquisa do PIC somente se: 2.1.1. aprovado pelo professor-orientador e pelo respectivo conselho de curso e

2.1.2. redigido e formatado em conformidade com as edições mais recentes das Normas Técnicas Brasileiras (NBR) 6023, 6024, 6026, 6027, 6028, 6032, 6033, 10520, 10522 e 14724, publicadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), ressalvando-se o que é estabelecido na presente norma.

2.2. Após a análise da editoria e do Conselho de Pesquisa, somente serão indicados para publicação artigos em consonância com as normas lingüísticas e técnicas e cujo conteúdo contemple as condições abaixo descritas:

2.2.1. esclareçam a relevância social e teórica do tema estudado e sua pertinência à atualidade, demonstrando maturidade da proposta; 2.2.2. fundamentem-se em bibliografia específica, adequada ao estudo e analisada corretamente através de argumentação pertinente, concisa e coerente no conjunto e entre as partes, demonstrando conhecimento do tema e

2.2.3. descrevam, com precisão e objetividade, a metodologia adotada, através de uma exposição lógica e estruturada que demonstre a delimitação correta e clara da ação, a pertinência dos procedimentos e técnicas aos objetivos formulados, a coerência na interpretação dos resultados e a exatidão na referência às fontes de consulta.

2.3. Os artigos indicados para publicação serão submetidos a uma revisão para adaptá-los formalmente ao estilo do periódico, o que demandará a colaboração do(s) autor(es) no sentido de prestar esclarecimentos, proceder revisões parciais, preparar uma segunda versão ou apreciar sugestões de revisão e cujo atendimento satisfatório é condição sine qua non para que sejam efetivamente publicados.

 


3. ORIENTAÇÕES PARA A PREPARAÇÃO DE ORIGINAIS PARA SUBMISSÃO

3.1. Redação

3.1.1. O artigo deve ter seu texto redigido em idioma Português, em consonância com o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, da Academia Brasileira de Letras.

3.1.2. A linguagem deve ser adequada à comunicação científica primária, objetiva e clara, evitando o uso de jargões, regionalismos, repetições, ecos, cacófatos e frases longas e o abuso de adjetivos, advérbios, orações intercaladas e partículas de subordinação. 3.1.3. Considerando a destinação do periódico a um público multidisciplinar, que pode não estar familiarizado com a terminologia específica da área de estudo do(s) autor(es), é necessário que os termos:

3.1.3.1. especializados ou altamente técnicos sejam explicados;

3.1.3.2. novos sejam definidos;

3.1.3.3. abreviados sejam grafados por extenso na primeira menção, seguido da abreviatura entre parênteses e

3.1.3.4. em língua estrangeira sejam destacados em itálico e seguidos de sua tradução entre parênteses.

3.1.4. A extensão total do artigo não deve exceder 39 mil caracteres com espaços ou 15 páginas (configuradas conforme o item 3.2).

3.2. Formatação

3.2.1. O texto deve ser processado em software apropriado e plenamente compatível com o Microsoft® Word 2000 ou superior e o projeto gráfico deve seguir o disposto nesta norma.

3.2.2. A página deve ser configurada segundo as especificações:

3.2.2.1. papel em tamanho A4 (21,0cm de largura e 29,7cm de altura);

3.2.2.2. margem esquerda e superior de 3cm e direita e inferior de 2cm e

3.2.2.3. numeração seqüencial a partir da segunda folha de texto, em algarismos arábicos, posicionada no canto superior direito, a 2cm da borda superior, ficando o último algarismo a 2cm da borda direita.

3.2.3. Todo o texto deve ser digitado em fonte Times New Roman, obedecendo às especificações de tamanho e estilo e aos atributos de parágrafo definidos para cada parte do artigo e apresentadas nos itens a seguir.

3.2.4. Especificações para o texto do corpo:

3.2.4.1. das seções (introdução, desenvolvimento e conclusão) - fonte em tamanho 12, normal e parágrafo justificado, sem recuos direito e esquerdo, com recuo especial de primeira linha igual a 0,4cm, sem espaçamento anterior ou posterior e com entrelinhamento igual a 1,5 linha;

3.2.4.2. do resumo em português - fonte em tamanho 12, normal e parágrafo justificado, sem qualquer recuo e espaçamento e com entrelinhamento simples;

3.2.4.3. das referências bibliográficas e informações sobre a autoria - fonte em tamanho 12, normal e parágrafo alinhado à esquerda, sem qualquer recuo e espaçamento e com entrelinhamento simples;

3.2.4.4. do abstract (resumo em inglês) - fonte em tamanho 12, itálico e parágrafo justificado, sem qualquer recuo e espaçamento e com entrelinhamento simples;

3.2.4.5. das transcrições (com mais de três linhas e, portanto, apresentadas em parágrafo destacado do texto da seção) - fonte em tamanho 10, normal e parágrafo justificado, sem recuo direito, com recuo esquerdo igual a 2cm, sem recuo especial de primeira linha, sem espaçamento anterior ou posterior e com entrelinhamento igual a 1,5 linha;

3.2.4.6. das notas - fonte em tamanho 10, normal e parágrafo alinhado à esquerda, sem qualquer recuo e espaçamento e com entrelinhamento simples;

3.2.4.7. de equações, fórmulas e sentenças matemáticas (apresentadas em parágrafo destacado do texto da seção) - fonte em tamanho 12, negrito e parágrafo centralizado, sem qualquer recuo e espaçamento e com entrelinhamento igual a 1,5 linha.

3.2.5. Especificações para o texto de títulos:

3.2.5.1. do artigo e das seções - fonte em tamanho 12, negrito, caixa alta total (maiúsculas) e parágrafo alinhado à esquerda, sem qualquer recuo e espaçamento e com entrelinhamento igual a 1,5 linha;

3.2.5.2. das subseções (subtítulos) - fonte em tamanho 12, negrito, caixa alta na primeira letra da palavra inicial da sentença e parágrafo alinhado à esquerda, sem qualquer recuo e espaçamento e com entrelinhamento igual a 1,5 linha;

3.2.5.3. de tabelas - fonte em tamanho 10, negrito, caixa alta na primeira letra da palavra inicial da sentença e parágrafo centralizado, sem qualquer recuo e espaçamento e com entrelinhamento igual a 1,5 linha;

3.2.5.4. de figuras - fonte em tamanho 10, normal, caixa alta na primeira letra da palavra inicial da sentença e parágrafo centralizado, sem qualquer recuo e espaçamento e com entrelinhamento igual a 1,5 linha;

3.2.6. Especificações para destacar, em qualquer parte do texto:

3.2.6.1. palavras às quais se deseja dar ênfase - grafar em negrito;

3.2.6.2. palavras estrangeiras e nomenclatura científica - grafar em itálico, exceto no abstract, em que são grafadas em fonte normal e

3.2.6.3. equações, fórmulas e sentenças matemáticas - grafar em negrito e, nas variáveis, usar também o itálico.

3.2.7. Os seguintes procedimentos devem ser observados durante a digitação:

3.2.7.1. o comando de retorno de linha (tecla enter) deve ser usado exclusivamente no final dos parágrafos;

3.2.7.2. a adição de espaços extras ou obtenção de recuo somente deve ser efetuada através dos comandos de formatação de parágrafo disponibilizados pelo processador e em hipótese alguma através do comando de tabulação (tecla tab) ou da barra de espaços;

3.2.7.3. nenhum processo que implique em separação das sílabas das palavras deve ser utilizado, seja manual ou automático. 3.3. Elementos pré-textuais

3.3.1. O título, que deve:

3.3.1.1. estar redigido em português e empregar no máximo 100 (cem) caracteres (incluindo os espaços);

3.3.1.2. ser claro e preciso, permitindo a identificação imediata de seu conteúdo e facilitando a indexação e a recuperação da informação;

3.3.1.3. evitar o uso de termos não significativos como estudo, exame, análise etc. e

3.3.1.4. evitar o emprego de travessões, hífens e dois pontos, pressupondo a existência de um subtítulo.

3.3.2. As informações sobre a autoria, dispostas abaixo do título, em seqüência e uma em cada linha, identificadas pelas seguintes palavras/expressões:

3.3.2.1. Autor(es) e, após, o nome completo do(s) autor(es) e o(s) curso(s) no(s) qual(is) está(ão) matriculado(s);

3.3.2.2. Orientador e, após, o nome completo do responsável pelo acompanhamento do(s) autor(es), sua titulação acadêmica completa (grau, área do conhecimento e instituição concedente) e o cargo ocupado na instituição à qual está vinculado (professor/curso);

3.3.2.3. Instituição e, após, o nome completo da instituição na qual o trabalho foi realizado;

3.3.2.4. Período e, após, o período em que foi desenvolvido o estudo e a data de conclusão do artigo; 3.3.2.5. Órgão financiador e, após, o nome completo da instituição que financiou o estudo (se for o caso) e

3.3.2.6. Autor designado e, após, o nome completo do autor indicado para receber toda a correspondência da editoria, seu endereço postal completo, telefone, fax e e-mail. 3.3.3. O resumo em língua vernácula, disposto após as informações sobre a autoria, que deve:

3.3.3.1. ser redigido em um único parágrafo sob o título RESUMO e empregando no máximo 200 (duzentas) palavras;

3.3.3.2. apresentar os pontos relevantes em uma seqüência de frases objetivas e concisas, de modo que o leitor compreenda clara e imediatamente o conteúdo e as conclusões do estudo relatado;

3.3.3.3. evitar menções a tabelas e ilustrações e transcrições de obras consultadas e

3.3.3.4. evitar o emprego de esquemas químicos e fórmulas matemáticas, símbolos e caracteres complexos.

3.3.4. As palavras-chave, ou descritores, inseridas imediatamente após o parágrafo do resumo, que devem ser:

3.3.4.1. em número igual ou menor a 5 (cinco), empregando no máximo 100 (cem) caracteres (com espaços) e

3.3.4.2. representativas do conteúdo e escolhidas em vocabulário livre ou controlado.

3.3.5. O abstract, ou resumo em língua estrangeira, disposto após o resumo, que deve:

3.3.5.1. ser redigido em língua inglesa, em um único parágrafo sob o título ABSTRACT e empregando no máximo 200 (duzentas) palavras e

3.3.5.2. apresentar uma versão adequada do resumo, especialmente dos termos técnicos empregados. 3.3.6. As keywords, ou descritores em inglês, inseridas imediatamente após o parágrafo do abstract, que devem ser:

3.3.6.1. em número igual ou menor a 5 (cinco), empregando no máximo 100 (cem) caracteres (com espaços) e

3.3.6.2. uma versão adequada das palavras-chave.

3.4. Elementos textuais

3.4.1. A introdução - parte do texto destinada a situar o leitor quanto à temática escolhida -, disposta após as keywords sob um título à escolha do autor (desde que corresponda ao conteúdo da seção), que deve conter:

3.4.1.1. a delimitação concisa do assunto; 3.4.1.2. a descrição clara dos objetivos do estudo e

3.4.1.3. o esclarecimento da relevância social e teórica do problema e sua pertinência à atualidade.

3.4.2. O desenvolvimento - parte do texto em que o(s) autor(es) expõe(m), ordenada e detalhadamente, as ações empreendidas para elucidar o problema apresentado na introdução, fundamentando suas proposições, escolhas, justificativas, ponderações e análises no conhecimento acumulado e compartilhado pela literatura específica da área -, disposto após a introdução sob um título à escolha do autor (desde que corresponda ao conteúdo da seção, que pode ser dividida e subdividida), que, conforme o tipo de estudo, deve:

3.4.2.1. explicitar os métodos de abordagem e de procedimento adotados e justificar sua pertinência;

3.4.2.2. descrever as técnicas utilizadas e demonstrar sua aplicabilidade;

3.4.2.3. discorrer sobre fatos que provem/refutem o argumento inicial proposto ou leis/teorias que se apliquem à casuística apresentada;

3.4.2.4. analisar o problema em partes e verificar a relação delas entre si e com o todo e

3.4.2.5. apresentar e discutir os resultados obtidos e/ou coletados.

3.4.3. A conclusão - parte do texto destinada às considerações do(s) autor(es) sobre o processo de investigação e os resultados alcançados -, disposta após o desenvolvimento sob o título CONCLUSÃO ou CONSIDERAÇÕES FINAIS, que deve:

3.4.3.1. esclarecer em que o estudo contribuiu para o avanço do conhecimento na respectiva área de conhecimento e

3.4.3.2. discorrer sobre as perspectivas que o estudo aponta: novas investigações, procedimentos, leis, teorias ou mesmo tecnologias.

3.4.4. As citações - transcrições livres ou textuais de informações extraídas de documentos consultados -, utilizadas preferencialmente na seção desenvolvimento, para fundamentar a argumentação, que devem:

3.4.4.1. obedecer ao disposto nos itens 4 e 5.1 da NBR 10520;

3.4.4.2. ser apresentadas conforme o sistema autor-data, no qual a indicação da fonte (chamada) é feita pela entrada (palavra ou sentença que inicia a respectiva referência bibliográfica, geralmente o sobrenome do autor), seguida pelo ano de publicação e o número da(s) página(s) do documento em que a informação se encontra registrada;

3.4.4.3. exprimir, com precisão, a essência da informação transcrita (no caso de transcrição livre ou citação indireta) ou apresentar redação idêntica à que consta no documento-fonte (no caso de transcrição textual ou citação direta) e

3.4.4.4. ser, em sua maioria, relativas a documentos aos quais se teve acesso diretamente, evitando-se a citação de citação.

3.5. Elementos pós-textuais

3.5.1. As referências bibliográficas - conjunto de elementos descritivos que permitem a identificação individual dos documentos citados no texto -, dispostas após a conclusão sob o título REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, que devem:

3.5.1.1. ser completas e elaboradas de acordo com os itens 6 a 8 da NBR 6023 e

3.5.1.2. constituir uma lista única, em ordem alfabética por entrada (item 9.2 da NBR 6023).

3.5.2. A bibliografia - seção opcional na qual se identificam os documentos relacionados à temática, porém não citados no texto -, disposta após as referências bibliográficas sob o título BIBLIOGRAFIA, que deve seguir as mesmas determinações da seção anterior.

3.5.3. As notas - admitidas somente quando não for adequado ou possível apresentar observações complementares, realizar remissões internas e externas ou fornecer a tradução de um período diretamente no texto da seção a que se remetem -, dispostas após a última seção do artigo sob o título Notas, que devem ser breves e concisas, empregando no máximo 300 (trezentos) caracteres (com espaços).

3.6. Ilustrações

3.6.1. Os artigos poderão conter ilustrações (figuras e tabelas) desde que sejam absolutamente necessárias à clareza do texto e atendam aos seguintes parâmetros, conforme o caso:

3.6.1.1. traços e preenchimentos em preto e/ou tons de cinza, com excelente nitidez para impressão em preto e branco;

3.6.1.2. dimensões que permitam redução (no processo de editoração) sem perda de legibilidade (corpo de fonte mínimo de 10 pontos); 3.6.1.3. arquivo(s) eletrônico(s) produzido(s) em software compatível com os utilizados no processo de editoração (extensões TIF, EPS, CDR, PPT e JPG);

3.6.1.4. digitalização com resolução superior a 300dpi e perfeito enquadramento e

3.6.1.5. se já tiverem sido publicadas (ver 1.3.3.), devem apresentar, abaixo da legenda, a chamada (ver 3.4.4.2) e a referência completa (ver 3.5.1.).

3.6.2. Independente do processo utilizado na elaboração de ilustrações, o(s) autor(es) deve(m):

3.6.2.1. manter sob sua guarda os originais até que a revista seja publicada, para submetê-los a exame da editoria em caso de dúvidas;

3.6.2.2. conferir minuciosamente as informações nelas contidas com os registros dos quais se originam e com os que constam no texto do artigo e

3.6.2.3. fornecer uma versão de cada uma, em arquivo eletrônico, precisamente identificado e independente do arquivo referente ao artigo (ver procedimentos em 3.7.2).

3.6.3. Ilustrações tais como quadros, lâminas, mapas, plantas, fotografias, gráficos, organogramas, fluxogramas, esquemas, desenhos etc., cuja finalidade é explicar ou complementar visualmente o texto, devem ser denominadas figuras e:

3.6.3.1. numeradas conforme a ordem de ocorrência no artigo, em algarismos arábicos;

3.6.3.2. inseridas o mais próximo possível do trecho a que se remetem;

3.6.3.3. identificadas por seu título, disposto imediatamente abaixo delas e precedido da palavra Figura, seguida da numeração e o sinal gráfico travessão;

3.6.3.4. suas legendas, quando necessárias, devem ser explicativas, breves e claras, dispensando consulta ao texto, e dispostas imediatamente abaixo do título e

3.6.3.5. no caso de reprodução, devem conter, em seguida ao título ou, se houver legenda, abaixo dela, a citação da fonte (ver 3.6.1.5.).

3.6.4. A denominação tabela se aplica às ilustrações que apresentam informações tratadas estatisticamente, organizadas em linhas e colunas, que devem ser:

3.6.4.1. numeradas conforme a ordem de ocorrência no artigo, em algarismos arábicos;

3.6.4.2. inseridas o mais próximo possível do trecho a que se remetem;

3.6.4.3. preparadas conforme as Normas de Apresentação Tabular (IBGE, 1993);

3.6.4.4. identificadas por seu título, disposto imediatamente acima delas e precedido da palavra Tabela, seguida da numeração e o sinal gráfico ponto;

3.6.4.5. suas notas, quando necessárias, devem ser explicativas, breves e claras, dispostas imediatamente após o fio de fechamento e

3.6.4.6. no caso de reprodução, devem conter, em seguida ao fio de fechamento ou, se houver notas, abaixo delas, a citação da fonte (ver 3.6.1.5.).

3.7. O artigo produzido em consonância com esta norma deve ser encaminhado à Principium: Iniciação Científica no Unileste-MG pessoalmente ou através dos serviços postais, em envelope com a identificação completa do destinatário (ver endereço na página 2) e remetente, contendo:

3.7.1. versão final do artigo em arquivo eletrônico, em formato doc, salvo com a denominação-padrão (ver 4.1.1), em disquete de 3 ½" identificado por etiqueta que registre, além desta denominação, o título do artigo, nome completo do(s) autor(es) e o(s) curso(s) ao(s) qual(is) pertence(m);

3.7.2. versão final do(s) arquivo(s) eletrônico(s) relativo(s) a ilustrações (se houver), salvo(s) com denominação-padrão (ver 4.1.2), no mesmo disquete do artigo, se o espaço for suficiente, ou em outros, etiquetados e identificados tal qual em 3.7.1;

3.7.3. três cópias impressas, apenas no anverso da folha, da mesma versão do artigo salva em disquete e

3.7.4. declaração do(s) autor(es), em uma via impressa e por ele(s) assinada, de que autoriza(m) a publicação de seu artigo e concorda(m) com as condições expressas na presente norma, em especial o que dispõe sobre a cessão de direitos autorais (ver 1.3).

 


4. DISPOSIÇÕES FINAIS

4.1. A utilização da denominação-padrão proposta a seguir evita confusões de arquivos eletrônicos na tramitação dos artigos durante a análise.

4.1.1. As versões eletrônicas dos artigos devem ser denominadas utilizando-se a denominação do periódico e o ano da edição seguida da identificação do artigo (efetuada pelo sobrenome do autor ou, no caso de mais de um, do primeiro listado), como exemplificado a seguir:

4.1.1.1. identificação do periódico - Principium2003;

4.1.1.2. identificação do artigo - castro;

4.1.1.3. denominação-padrão - Principium2003_castro.

4.1.2. Nas ilustrações, deve se utilizar a denominação-padrão da versão eletrônica do artigo seguida da abreviatura da palavra que designa a ilustração e do seu número de ordem no texto:

4.1.2.1. exemplo para figuras - Principium2003_castro_fig1;

4.1.2.2. exemplo para tabelas - Principium2003_castro_tab1;

4.1.3. Não devem ser usados acentos ou símbolos que possam não ser reconhecidos em equipamentos variados.

4.2. As Normas Técnicas da ABNT estão disponíveis, para consulta, na biblioteca central do Unileste-MG ou podem ser adquiridas no site da entidade: www.abnt.org.br.

4.3. As obras a seguir auxiliam o(s) autor(es) na elaboração de seus artigos

CASTRO, C. M. A prática da pesquisa. São Paulo: Mac Graw-Hill do Brasil, 1978. 156p. ______. Estrutura e apresentação de publicações científicas. São Paulo: Mac Graw-Hill do Brasil, 1978. 72p.

DEMO, P. Metodologia científica em ciências sociais. 3. ed. São Paulo: Atlas.

ECO, U. Como se faz uma tese. 10. ed. São Paulo: Perspectiva, 1993. 170p.

FRANÇA, J. L. et al. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 4. ed. rev. e aum. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998. 213p.

GALLIANO, A. G. O método científico: teoria e prática. São Paulo: Harbra. 1979. 200p. LAKATOS, E. M.;

MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1985. 238p.

MARCONI, M. A. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisa, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. São Paulo, Atlas, 1982.

RUIZ, A. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. São Paulo: Atlas, 1976. 178p.

SALOMON, D. V. Como fazer uma monografia. 2. ed. rev. São Paulo: Martins Pontes, 1993. 294p.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. rev. e aum. São Paulo: Cortez, 1996. 272p.